24 abril 2007

Calarei diante do pecado da homossexualidade?

I Corintios 6.9-10 "Não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os EFEMINADOS, nem os SODOMITAS, 6 - 10 nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbedos, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus."
Efeminado segundo defininção do dicionário Michaellis on line do UOL: e.fe.mi.na.doadj (lat effeminatu) 1 Caracterizado por qualidades mais próprias a mulheres do que a homens. 2 Que tem modos de mulher. 3 Ex­cessivamente delicado; mole. 4 Pusilânime. 5 Vo­luptuoso.
Sodomita segundo definição do mesmo dicionário: so.do.mi.ta1s m+f (lat sodomita) Pessoa que pratica a sodomia; pederasta.
Definição de Sodomia: so.do.mi.asf (top Sodoma+ia1) Concúbito de homem com homem ou de mulher com mulher. S. imperfeita: contatos libidinosos entre pessoas do mesmo sexo, sem cópula mas com orgasmo. S. impropriamente dita: coito anal entre homem e mulher. S. perfeita: coito anal de homem com homem com ejaculação; pederastia.
Estamos em um tempo muito difícil! Tempo onde uma minoria da sociedade se coloca na direção e controle da vida da grande maioria do povo, procurando determinar seu modo de pensar, falar, agir e, agora, até mesmo de se relacionar. É a forma de se viver numa sociedade republicana democrática: "poucos", escolhidos pelos que representam o "muito", decidem o quanto recolher, como aplicar, e, agora, como viver também. É, estou repetindo a idéia. Mas, o fato é: é a verdade! E, também o é verdade que, apesar de ser uma republica, continuamos refém de poucos (antes de mais nada gostaria de dizer que não sou contra a democracia, mas penso não vivermos tal coisa).
Bom, você pode estar se perguntando: "o que tem a ver isto com o tema proposto?" É fácil minha resposta. Tem a ver que uma minoria "gay" está conseguindo colocar contra a parede uma maioria que não concorda com seu estilo de vida, com sua ideologia. Não estou referindo-me aos que abominam a vida dos "gays", e assim os agridem, os matam. Não! Estou falando a respeito daqueles que não aceitam a ideologia de que ser "gay" é natural a condição humana. Falo isto como ser humano, e também com ser humano religioso, que vive segundo os princípios bíblicos.
Ainda sobre uma "minoria que determina os rumos da vida de uma maioria", quero dizer que sinto-me incomodado, extremamente agredido com o fato de um Projeto de Lei (projeto de lei nº 5.003-b, de 2001) está a ponto de ser levada ao presidente da república para receber sua assinatura tornando-a oficial, na qual, me obrigará a ficar calado diante da pecaminosidade da prática homossexual. E estou atônito pelo fato de que quase nenhum representante político do povo de Deus (li até hoje apenas o discurso do Senador Marcelo Crivela da Universal, veja no link http://www.marcelocrivella.com.br/paginas/_det-noticia.asp?cod=159), e de que poucas ou quase nenhuma entidade e instituição cristã(tenho conhecimento apenas da posição oficial da IPB http://tempora-mores.blogspot.com/2007/04/mensagem-presbiteriana-sobre-aborto-e.html), tenha se pronunciado diante de tal fato.
É ruim ver nosso país tomar como seu valores semelhantes aos de Sodoma e Gomorra (Gn 13.13; 19.1-25). É triste ver a Igreja brasileira muitas vezes se se calando, sendo indiferente para com o destino de nossa nação, em troca de um amasiamento com o dinheiro e o poder do Estado. Vejo-a muitas vezes como Ló, sobrinho de Abrãao que morava em Sodoma. Este havia se acostumado tanto às praticas pecaminosas do povo (os chama de irmãos - Gn 19.7), que chegou ao ponto de oferecer suas filhas para serem abusadas no lugar dos anjos, sem nenhuma resistência, sem nenhum posicionamento contrário (Gn 19.8). Ou como a sua mulher, a qual amava tanto os costumes das duas cidades, que desobedeceu a Deus, e, ao olhar com o desejo de estar nelas, tornou-se uma estátua de sal, insípido e desnecessário, portanto, morta (Gn 19.26).
De igual modo nós estamos ficando calados e aceitando tal imposição do Estado na intimidade do lar, na individualidade de nós cidadãos brasileiros. Estamos aceitando que imponha este o que devemos aceitar ou não, permitindo o extermínio da consciência cristã firmada nos princípios da Palavra de Deus, e no princípio de testemunha dos valores do Reino de Deus implantado em Jesus Cristo, não somente na questão da homossexualidade, mas também nesta.
Será que iremos nos calar diante do medo da violência da mordaça do Estado?
Mas, gostaria de dizer que, como outros, não desejo me calar. Irei falar, e pagar por falar. Aprendi pela Palavra que a prática da homossexualidade é pecado. É crime contra a a vontade de Deus, portanto, contra a naturalidade do "ser humano"; é uma atitude contra a família, e portanto, não posso ficar calado. Denuncio o pecado, e, se preciso for, serei "mártir" com muitos outros.
Fico entristecido, porém, pelo fato de que esta nova ditadura de valores que não ajudará em nada a família brasileira e, assim, a sociedade constituída. Fico idignado pelo fato de que estes valores venham a ser impostos por uma minoria de políticos corrompidos, não tementes a Deus, e de que nós, o povo de Deus, tenhamos que, teoricamente, nos submeter a estes, o que não farei. Com eles não concordarei, e não darei meu aval. "Importa antes obedecer a Deus que aos homens...", já nos ensinou o Espírito pelos Apóstolos Pedro e João (Atos 5.29). Potanto, protesto agora, e protestarei enquanto for preciso.
Sei que posso ser julgado por muitos. Não temo. Antes temo ser julgado por aquele que pode me condenar e destruir minha alma (Mateus 10.28). Não negocio meus valores e princípios. Não negocio o direito de poder dizer aos meus sobrinhos que a homossexualidade não agrada ao Senhor, e é pecado que leva para morte eternar. Não aceito que meu direito de ensinar na Igreja e instruir segundo a Palavra de Deus seja tirado de mim. Não aceito que não venha a ter direito de educar meus filhos, ensinado-os que a relação entre dois do mesmo sexo não agrada ao Seu Senhor, Criador e Salvador.
Por fim, quero dizer que não tenho pavor de homossexuais. Não. Convivi com muitos. Amigos de escola. Mas isto não significa que concorde com suas práticas. A eles sempre falei com amor a respeito desta situação, e continuarei, com amor, a denunciar seu pecado. Sempre fui submisso aos que denunciaram os meus em amor, e aprendi que não denunciar significa indiferença, deserviço ao que está em erro. Desta forma, chamá-los ao arrependimento será uma forma de servi-los em amor, ajudando-os a compreender que, por esta pratica pecaminosa, estão sendo levados à morte eterna.
Sem mais, quero deixar aqui minha tristeza pelo fato dos políticos brasileiros estarem conduzindo a nação sem consultar o povo, acima de tudo, sem direção da Vontade de Deus. São cegos que conduzem cegos. Contudo, afirmo: há muitos cujos olhos não enchem seus corpos de trevas, por isto conseguem ver para onde estão sendo guiados. Há muitos, cujas consciências não estão mortas em seus pecados (Hebreus 9.14; 10.22; 13.18), não estão cauterizadas (I Timóteo 4.2), e, por isto, não ficarão calados diante de tal realidade.
Ps.: recomendo sobre o assunto recomendo o texto de Solano Portela "A Sociedade Refém da Visão Homossexual de Vida" no seguinte link: http://tempora-mores.blogspot.com/2007_03_01_archive.html e "A Lei da homofobia para Leigos..." no link: http://tempora-mores.blogspot.com/2007/03/lei-da-homofilia-para-leigos.html
Leia ainda:União homossexual é rejeitada por 49%; para 52%, casais gays não podem adotar no link: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/brasil/fc0804200706.htm
No amor daquele que nos liberta de toda escravidão, inclusive de nós mesmos,
Cleber B. Gouveia
Pastor Auxiliar da Primeira IPI do Distrito Federal

Nenhum comentário:

Postar um comentário